A riqueza da arte Barroca

O Barroco é um estilo artístico que se desenvolveu na Europa no final do século XVI e na metade do século XVIII, incorporando-se nas artes plásticas, literatura, teatro e música. Iniciando-se na Itália, espalhou por outros países europeus como a Holanda, França, Bélgica, Espanha e Áustria, e chegou à América Latina no século XVII. Essa tendência tem forte ligação com a Contrarreforma Católica do século XVI; surgiu como forma de expressão influenciada pelo cenário da época: tinha a espiritualidade e o teocentrismo da Idade Média, e o racionalismo e antropocentrismo do Renascimento. Considerado um “Clássico” rebelde, com certa inspiração no Renascimento, o Barroco recebeu esse nome de significado grotesco por não respeitar as combinações utilizadas pelos gregos e romanos. É uma arte rica em detalhes com forte apelo emocional, dotada de imagens retratadas com fidelidade que resultam em cenas dramáticas e dinâmicas.
O artista barroco colocava sua personalidade nas obras, que às vezes era subjetiva. Os temas trabalhados eram sobre o cotidiano e os conflitos do homem daquele período. A observação da natureza era fundamental para dar verossimilhança às obras, assim também como os efeitos criados pelos artistas, entre eles o uso de muitas cores, texturas, jogos de luz e sombra, diagonais e curvas. Em cada região, a arte adquiria características diferentes devido à cultura local. E não era só a pintura que se destacava, a escultura e arquitetura andavam junto com ela.
O Barroco Europeu valorizava os efeitos de cores, luzes e o movimento, tendo como temas principais a mitologia, passagens da Bíblia e outras situações (vida da nobreza e burguesia, natureza morta). Foi nesse tempo que as igrejas começaram a ser decoradas com pinturas e esculturas com a técnica da perspectiva. Os traços das esculturas mostram extremo sofrimento e nelas predominam a cor dourada, curvas e relevos.
Principais artistas: o espanhol Velázquez, o italiano Caravaggio, os belgas Van Dyck e Frans Hals, os holandeses Rembrandt Vermeer e o flamengo Rubens.
O Barroco Brasileiro inicialmente seguiu o barroco português, depois adquiriu características próprias. A maior parte da produção ocorreu nas cidades auríferas de Minas Gerais (século do ouro – XVIII). Na Bahia, a arte foi utilizada nas igrejas de Salvador, como a de São Francisco de Assis e a da Ordem Terceira de São Francisco.
O escultor Antônio Francisco de Lisboa, o Aleijadinho, foi o principal representante do barroco mineiro.  Suas obras tinham caráter religioso e a maioria era feita em madeira e pedra sabão. Dentre elas, vale a pena ver “Os Doze Profetas” e “Os Passos da Paixão”, localizadas na Igreja de Bom Jesus de Matozinhos, em Congonhas do Campo (MG).
Outros artistas importantes: o pintor mineiro Manuel da Costa Ataíde e o escultor carioca Mestre Valentim.
Apesar de ter se iniciado durante o fortalecimento do protestantismo, o barroco possui muita religiosidade em seus trabalhos, independente da religião, os artistas eram de fato religiosos. A arte servia também como instrumento de divulgação de sua doutrina.
O Barroco é uma herança histórica bela e riquíssima.

3 Responses to A riqueza da arte Barroca

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade