Cinco dicas para o desenvolvimento de uma redação

A principal dica para desenvolver uma boa redação é não ter medo de escrever. Você sabe que é capaz de escrever bem. Mas há alguns cuidados básicos a tomar no momento de escrever.
1° Leia com atenção, mas com atenção mesmo, o enunciado da proposta de redação. Ali está indicado exatamente o que você deve fazer. Se ler mal o enunciado, poderá errar. Um exemplo: o tema proposto é o seguinte: A verdade ou a mentira: uma questão de conveniência? Tema muito fácil, mas alguns por leitura apressada e descuidada pode ser conduzido o tema para outra direção, não tendo sucesso na redação.
Caso típico de falta de atenção na leitura. Mas isso também está em julgamento nos vestibulares: a capacidade de ler com atenção e interpretar os enunciados das questões.

2° Não invente: escreva uma redação em prosa, dissertativa, e já estará fazendo um ponto positivo. Não banque o camicase: não faça narrativa, não faça poesia, não faça poema concreto, não faça diálogo, não faça história em quadrinhos, pois isso simplesmente não é solicitado e uma redação nesses gêneros será eliminada. Também não faça graça nem piada, achando que irá premiá-lo pela criatividade. Não irão: se quer mostrar criatividade, mostre dissertando; se não dissertar, não terá sucesso com sua redação.

 

Cinco dicas para o desenvolvimento de uma redação

Cinco dicas para o desenvolvimento de uma redação

3° Obedeça ao tema solicitado. Na maioria das redações, principalmente as redações de concursos, não querem saber se você conhece o tema, mas se, conhecendo o tema, por ser previsível, o candidato é capaz de escrever uma boa redação dissertativa a respeito. Por isso, a melhor atitude é fazer uma redação simples, criada na hora, inteiramente focada no tema. Logo se perceberá que se trata de um texto natural e espontâneo. Isso vale muito. Nada de tentar adaptar redações memorizadas: é um recurso pouco digno, que pode diminuir drasticamente a qualidade da redação. Nem tente escrever como sua redação um texto de outra pessoa, publicado em livro, jornal ou revista. Isso será plágio.

4º No caso de uma prova, os textos auxiliares são para auxiliar, não para copiar. A proposta de redação sempre parte dos textos de algumas das questões da prova e, às vezes, ainda acrescenta mais textos auxiliares para você ter mais informações. Tome muito cuidado: textos auxiliares são para auxiliar, não para ser copiados. Cópia é plágio, não vale nada, tira zero. É melhor fazer uma redação sua, com suas palavras, do que tentar copiar ou adaptar passagens dos textos das questões ou dos textos auxiliares. Claro, você pode fazer citações dos textos, mas com cuidado, mencionando os autores e não deixando que as citações sejam mais extensas que sua redação. Conclusão: seja autêntico, seja você mesmo, isso é sempre valorizado nas provas.

5° Você já aprendeu, mas sempre é bom lembrar. Uma redação dissertativa se escreve em prosa e constitui um texto em que você manifesta e defende uma opinião sobre o tema. Mas cuidado, não é aconselhável empregar o tempo todo “eu isso, eu aquilo”. É melhor focalizar o tema usando a terceira pessoa. Não escreva “Eu acho que a poluição ambiental é um dos maiores problemas do mundo”, mas escreva “A poluição ambiental é um dos maiores problemas do mundo”. Podemos dissertar usando a primeira pessoa? Sim, mas sempre é muito perigoso, pois o emprego do “eu” pode levar a caminhos perigosos, a narrar em vez de dissertar, a manifestar muito emotivamente nossas opiniões e perder o fio da argumentação. Em resumo: numa dissertação, devem destacar-se as ideias, a opinião e a argumentação, não o “eu” do autor.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade