Computadores para escritório

Os computadores usados em escritório são geralmente desktops (computadores de mesa, compostos geralmente por uma torre – CPU – monitor, teclado e mouse), pois, por não serem portáteis, são mais baratos e por isso são mais largamente utilizados nas empresas e escritórios. Além disso, podem ser considerados uma “estação” se conectados em rede, ou, em alguns casos, um posto de trabalho para determinados funcionários.

Carregam um conceito obsoleto de maior capacidade de armazenamento e processamento – hoje já derrubado pela tecnologia dos notebooks, que se igualam ou superam em capacidade e velocidade aos computadores desktop. Atualmente, os monitores de CRT (tubo) foram substituídos pelos de LCD porque economizam energia, ocupam menos espaço e são menos prejudiciais em termos de radiação e cansaço visual.

Atualmente, a tendência é que os desktops evoluam para o modelo all-in-one (“tudo em um”, em português), que nada mais é que um computador de mesa que possui sua CPU agregada ao monitor LCD, ocupando assim menos espaço. Os mais modernos contam com tela sensível ao toque, o que dispensa o uso do mouse e do teclado.

ESCOLHENDO SEU DESKTOP

Para selecionar um computador para escritório, deve-se atentar para a finalidade e o melhor custo/benefício:

– Atente-se para as configurações mínimas dos programas que irá utilizar. Assim, escolha um computador com uma configuração mínima para o programa mais exigente. Se possível, compre um computador com a “configuração recomendada” para o programa mais exigente, evitando assim possível lentidão do sistema.

– Buscando evitar desperdício de dinheiro, evite comprar um desktop top de linha, com um monitor muito grande, ou mais memória de vídeo do que o necessário – são raros os programas para uso empresarial que necessitem de muita memória de vídeo, e a desvalorização do equipamento geralmente é rápida. Aparatos como placa de captura de TV, placas de áudio ou vídeo off-board, entre outros, geralmente também são para uso bem restrito – opte por eles apenas se estritamente necessário.

– Escolha uma marca conhecida, ou que, no mínimo, tenha uma boa assistência técnica. Problemas em equipamentos não são incomuns, e nesta hora uma boa assistência técnica evitará dor de cabeça.

– Recomenda-se o uso apenas de programas originais, bem como os sistemas operacionais. Eles trazem segurança e “suporte” para o equipamento. Além disso, para o uso comercial e/ou empresarial, a lei é mais severa para o uso de programas “alternativos”.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade