Dia Mundial de Combate á AIDS

Hoje, 1 de dezembro é o dia mundial da do combate a AIDS.

Esse dia foi instituído no dia 1 de dezembro de 1987, através da Assembléia Mundial de Saúde, contando com o apoio da Organização das Nações Unidas – ONU. No Brasil, a homenagem passou a vigorar em 1988, a partir de uma portaria assinada pelo Ministro da Saúde.

Desde então, todo ano, a Organização Mundial de Saúde (OMS) escolhe o grupo social que registra o maior número de casos de HIV/AIDS e define estratégias, buscando ajudar e sensibilizar a população.

Importante ressaltar, que muitas pessoas ainda não têm um bom conhecimento sobre a doença, assim praticando às vezes “discriminação” contra um portador do HIV. A doença, não é passada pelo simples fato de estar no mesmo ambiente, compartilhando talheres, utilizando o mesmo banheiro, tosse, espirro, beijo, abraço ou por estar do lado da pessoa, a doença pode ser contraída através, do sangue, sêmen, secreção vaginal, leite materno, relações sexuais homo ou heterossexuais, com penetração vaginal, oral ou anal, sem proteção da camisinha, transmitem a Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis e alguns tipos de hepatite, compartilhamento de seringas entre usuários de drogas injetáveis, transfusão de sangue contaminado, instrumentos que cortam ou furam, não esterilizados, da mãe infectada para o filho, durante a gravidez, o parto e a amamentação. Ainda não se tem uma cura efetiva para a doença, mas já existem remédios/tratamentos, para prolongar a vida de um portador do HIV.

Enfim, isso são coisas que todos devem saber, pois muitas pessoas estão sujeitas a pegarem também, ou mesmo vem dos pais, se pararmos para pensar está cada vez mais fácil contrair, só pararmos e olharmos alguns anos atrás, onde as relações sexuais aconteciam com menos freqüência entre os jovens, onde tinha o índice de gravidez na adolescência era menor que agora, drogas eram menos constantes.

Agora deixo algumas questões para se pensar… É fato que muita coisa mudou rapidamente em questão de 5 anos, principalmente em relação aos jovens, todas as vezes que temos relações sexuais, fazemos um exame com a pessoa com que teremos a relação? Um portador não pode ter nascido já com o vírus através dos pais? Se a doença não pega facilmente, porque a discriminação? Inclusive discriminação não se pode ser praticada, nunca todos ser humano, precisa de apoio, independente de seu estado de saúde, social, raça, etnia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade