Edgar Allan Poe e suas histórias extraordinárias

Edgar Alan Poe foi um escritor cujo trabalho foi importante para a literatura norte americana, influenciando a cultura popular em elementos como a música e o cinema. Suas obras têm como temas principais o medo, a dor, e a morte; os cenários são sombrios e isolados; e os personagens são solitários, melancólicos e à beira da loucura. Todas essas características refletem o interior do autor, que acreditava que todos tinham uma força maligna dentro de si. Poe é um dos primeiros escritores americanos de contos e é considerado o inventor do gênero ficção policial. Seus contos são narrados em primeira pessoa e fazem uso do terror psicológico, criando uma verdadeira trama de terror. O sentimento de luto está sempre presente, encaixando-se no gênero gótico, um sentimento vivido por Poe. O mistério não rondava apenas a ficção, mas a vida real de Edgar Allan Poe, como veremos em sua biografia.

Edgar Poe nasceu em Boston, Massachusetts, no dia 19 de janeiro de 1809. Seus pais eram atores de teatro, mas não tiveram êxito na carreira e logo vieram as dificuldades financeiras. David Poe abandonou a esposa grávida e os filhos William e Edgard. Em 1811, um ano depois do nascimento da menina Rosaline, Elizabeth Poe faleceu. Edgar tinha 2 anos de idade e foi abrigado por John Allan, um comerciante escocês. Aos 17 anos, Edgar Allan Poe foi para a Universidade de Virginia, e lá se envolveu com bebidas e jogos de azar. Brigado com o pai de criação e sem dinheiro, largou a faculdade. Quando John morreu, seis anos depois de sua esposa, não deixou nada para Edgar, pois o tinha excluído do testamento.

Pouco antes dos 20 anos, Poe já estava escrevendo seu segundo livro de poemas. O conto Manuscrito Encontrado Numa Garrafa foi seu primeiro sucesso, e lhe rendeu um emprego em um jornal de Richmond. A partir daí, trabalhou em vários jornais escrevendo textos, poemas e resenha, que atraíram muitos leitores.

Em 1835, Edgar Allan Poe se casou com sua prima Virginia Clemm, de 13 anos de idade. Ela o acompanhava em todos os lugares e acabou contraindo tuberculose, que agravada por dificuldades financeiras, a matou em 1847. Edgar entrou em completo desespero e se entregou às bebidas (e às vezes ao ópio).

Aos 30 anos já tinha publicado 3 livros de poemas, uma coletânea de 25 contos (entre eles obras primas do terror como A Queda da Casa de Usher e Ligeia) e narrativas policiais. Poe adorava decifrar mensagens secretas. O Corvo foi publicado em 1845 e foi um sucesso. Apesar do reconhecimento, escrever não dava muito dinheiro e Edgar Allan Poe passava maus momentos.

O Mistério

Em 27 de setembro de 1849, após jantar com uns amigos, Edgar Allan Poe foi ao cais da cidade, embarcou em um navio para Baltimore e desapareceu. No dia 3 de outubro um amigo foi avisado sobre seu paradeiro e o encontrou moribundo e inconsciente em uma taberna de Batimore. Foi levado a um hospital e lá ficou delirando, chamando pelo nome Reynolds. Faleceu no domingo seguinte, dia 7 de outubro de 1849, aos 40 anos. Acredita-se que ele tenha sofrido um colapso mental, já que ele já tinha apresentado isso antes e quase cometido suicídio.

Principais poemas: O Corvo, Annabel Lee, Eldorado.

Principais contos: O Gato Preto, O Barril de Amontilado, O Retrato Oval, O Poço e o Pêndulo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade