O caso dos dez negrinhos, uma obra prima do romance policial

O Caso dos Dez Negrinhos é o livro mais famoso de Agatha Christie e um dos maiores Best-sellers de todos os tempos. Através dessa obra podemos entender claramente porque Agatha Christie é conhecida como a “Rainha do Crime”. O desfecho da história é considerado por muitas pessoas o mais surpreendente de todos os demais escritos pela autora. A tensão rodeia toda a narrativa e vai aumentando nos capítulos finais, que chegam a deixar o leitor confuso e se perguntando: Como isso é possível? Típico de Agatha Christie.

Chamado de “Ten Little Niggers” na Grã-Bretanha e “And Then There Were None” ou “Ten Little Indians” nos EUA, “O Caso dos Dez Negrinhos” foi publicado em 1939. Nas adaptações para o cinema, teve versões diferentes para o final. Em 2005 foi lançado como jogo para PC.

Sinopse

Dez pessoas são convidadas para uma estadia em uma mansão localizada em uma ilha deserta na costa de Devon. Mesmo não conhecendo os anfitriões, que assinam no convite com as iniciais U.N. Owen, eles aceitam ir por curiosidade. Na mansão, se surpreendem com a ausência do suposto casal que os convidou e aos poucos vão descobrindo que estão ali por um motivo diferente do que imaginavam. Quando são revelados os segredos que cada um guarda consigo relativo a um erro do passado, os dez personagens percebem que caíram numa brincadeira. Mas na verdade é uma armadilha que vai eliminando um a um. Isolados na ilha, eles entram num jogo psicológico que envolve medo, desconfiança e desespero.

O título do livro se refere a um poema infantil que tem conexão com os assassinatos dos hóspedes. As mortes acontecem de acordo com as letras do poema emoldurado em seus quartos, e cada vez que há uma morte, um dos dez negrinhos de porcelana que ficam na sala de estar desaparece. No final da história, uma carta encontrada na casa pela Scotland Yard revela como e porque tudo aconteceu.

As edições recentes do livro têm vindo com o nome “E não sobrou nenhum” por causa da polêmica a respeito do uso da palavra “negrinhos”.

Confiram o poema:

Dez negrinhos vão jantar enquanto não chove;

Um deles se engasgou e então ficaram nove.

Nove negrinhos sem dormir; não é biscoito!

Um deles cai no sono, e então ficaram oito.

Oito negrinhos vão a Devon de charrete;

Um não quis mais voltar, e então ficaram sete.

Sete negrinhos vão rachar lenha, mas eis

Que um deles se corta, e então ficaram seis.

Seis negrinhos de uma colméia fazem brinco;

A um pica uma abelha, e então ficaram cinco.

Cinco negrinhos no fotro, a tomar ares;

Um ali foi julgado, e então ficaram dois pares.

Quatro negrinhos no mar; a um tragou de vez

O arenque defumado, e então ficaram três.

Três negrinhos passeando no Zoo. E depois?

O urso abraçou um, e então ficaram dois.

Dois negrinhos brincando ao sol, sem medo algum;

Um deles se queimou, e então ficou só um.

Um negrinho aqui está a sós, apenas um.

Ele então se enforcou,

e não ficou nenhum.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade