O poeta Quintana

Em 2006 foi comemorado o centenário de um dos poetas mais célebres da história: Mário Quintana. Ele nasceu em 30 de julho de 1906 em Alegrete – RS. Abaixo veja uma cronologia resumida dele.

Algumas homenagens e prêmios que ele recebeu ao longo de sua vida de poesias:
– Em 1926 participou do concurso de contos do jornal “Diário de Notícias” e ganhou seu primeiro prêmio com o conto “A sétima personagem”.
– Em 1967 recebeu o título de Cidadão Honorário de Porto Alegre pela Câmara de Vereadores.
– Em 1968 recebe uma homenagem pela Prefeitura de Alegrete, sua cidade natal, uma placa de bronze com seus próprios dizeres: “Um engano em bronze é um engano eterno”.
– Em 1976 o Governo do estado do Rio Grande do Sul também o homenageia. Pelos seus 70 anos completados ele recebe a medalha “Negrinho do Pastoreio”.
– Em 1977 outro prêmio por livro publicado, desta vez se trata de “Apontamentos de história sobrenatural” que publicou no ano anterior, recebe o prêmio Pen Clube de Poesia Brasileira.
– Em 1989 foi eleito Príncipe dos Poetas Brasileiros, sendo o quinto poeta a receber esta homenagem.

Porem essa vida nos cobra caro e Quintana teve também grandes perdas:
– Em 1926 falece sua mãe, Virgínia de Miranda Quintana.
– Em 1927 falece seu pai, o farmacêutico Celso de Oliveira Quintana.
– Em 1968 falece seu irmão mais velho, Milton.
– Em 1978 fale sua irmã Marietta Quintana Leães.
– Mário Quintana morreu em 5 de maio de 1994, deixando muita saudade e belos versos que inspiram muitos até hoje.

Leia algumas de suas poesias e frases:

Para Km 77

Até onde irá a procissão dos postes, unidos, pelos fios, à mesma solidão?

Da discrição

Não te abras com teu amigo
Que ele um outro amigo tem.
E o amigo de teu amigo
Possui amigos também…

O paraíso perdido

Nasci em Shangri-La.
Pois quem foi que não nasceu em Shangri-La?

A construção

Eles ergueram a Torre de Babel
Para escalar o céu,
Mas Deus não estava lá!
Estava ali mesmo, entre eles,
Ajudando a construir a torre.

particularmente gosto muito dessa…

O Segredo é não correr atrás das borboletas… é cuidar do  jardim para que elas venham até você

 

 

 

 

4 Responses to O poeta Quintana

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade