Peeling – Tratando da pele

Quem não gostaria de ter uma pele lisinha, sem rugas, cicatrizes e nem manchas? Não é tão difícil, garantem os especialistas. O peeling é uma técnica que ajuda a obter estes resultados.
Peeling é um termo que designa a remoção de camadas superficiais da pele que estão danificadas. Na prática, a camada retirada é regenerada e ganha um aspecto novo. Geralmente, se existe uma lesão profunda na pele, o peeling deve atingir esta profundidade para eliminar a lesão.
Este tratamento é indicado em casos de irregularidades superficiais (rugas, cicatrizes e marcas), em casos de manchas e perda de elasticidade. (Atentar para a devida avaliação de um médico qualificado).
O peeling pode ser químico (utilizando substâncias abrasivas), mecânico (utilizando dermoabrasor elétrico ou ar comprimido) ou a laser.
Influenciam a profundidade do peeling: a substância aplicada, a quantidade aplicada, a técnica utilizada, o preparo da pele, o tipo da pele, a localização e o tempo de contato com a pele.
Os tratamentos peelings são realmente funcionais Vale ressaltar que é necessária uma boa hidratação da área após a sessão de peeling.
Peeling muito superficiais: indicados para peles sem brilhos e secas.
Peeling superficial: para peles com manchas superficiais, ásperas, rugas e acne ativa.
Peeling médio: indicado para peles com rugas, manchas, cicatrizes de acne e marcas de expressão.
Peeling profundo: para peles muito envelhecidas e com cicatrizes mais profundas.
Durante o verão, os peelings mais indicados são os superficiais, deixando os mais agressivos para o inverno. A combinação de diversas técnicas acaba atingindo um melhor resultado.
Mulheres grávidas, que estejam amamentando, e adolescentes não podem fazer alguns tipos de peeling, principalmente os ácidos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade