Redes sociais afetam cada vez mais os relacionamentos

A facilidade com que o mundo digital consegue encobrir um cônjuge infiel ou uma traição tem declinado. Uma estimativa feita pela Associação dos Advogados Matrimoniais dos EUA aponta que 20,0% das provas de infidelidade apresentadas nos tribunais do país são provenientes de redes sociais, em sua maioria o Facebook.
O Facebook foi fundado em 2004 e conta atualmente com mais de 1 bilhão de usuários.
Segundo Craig Gross, diretor do site, a maioria dos e-mails que o site recebe são relatos de casos de internautas que arriscam seus relacionamentos atuais, quando reencontram ex-namorados ou paqueras.
Gross não acredita que a rede é a causadora direta de divórcios, apenas facilita a infidelidade dos casais que já apresentavam instabilidade.
A advogada Yulisa Rodriguez, especialista em divórcios, diz que geralmente os que traem são diagnosticados por mudanças no comportamento. “Eles começam a passar horas diante do computador ou escondem os seus celulares. O cônjuge a suspeitar e acaba descobrindo”, afirma a especialista.
Embora em alguns países seja ilegal rastrear computadores alheios, há programas para vigilância que estão disponíveis gratuitamente e que servem os desconfiados.
Em uma era cercada pela falta de privacidade, a tendência é que cada vez mais relações terminem motivadas por traições virtuais, ou por causa do meio digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade