Salvador Dalí, excêntrico como a própria arte

Salvador Dalí foi um pintor catalão muito famoso por suas obras surrealistas, bastante expressivas nas artes plásticas do século XX. Esse estilo combinava perfeitamente com o pintor, que tinha uma personalidade extravagante e expressava isso muito bem em seu trabalho, às vezes incomodando muitos críticos. Apesar disso, a qualidade era excelente e contribuiu muito para outras mídias como cinema, escultura e fotografia.

Salvador Domingo Felipe Jacinto Dalí i Doménech nasceu na comunidade de Figueres, Espanha, no dia 11 de maio de 1904. De classe média, o pai tinha origem árabe e a mãe era uma dona-de-casa católica. Dalí cursou Educação Artística na Escola de Desenho Municipal e descobriu a pintura impressionista em 1916. Em 1919, teve sua primeira exposição, no Teatro Municipal de Figuere. Em 1922, mudou-se para Madri, mostrando sua personalidade com o visual excêntrico: cabelo comprido, casacos longos, laço no pescoço, calças até o joelho e meias altas. E também há o marcante bigodinho.

Os quadros inicialmente apresentavam tendências do cubismo e dadaísmo. Salvador chegou a ingressar na Academia De Artes em 1926, mas foi expulso por contestar a competência dos membros. Ficou amigo do poeta Federico García Lorca e mais tarde de Pablo Picasso, que o influenciou bastante nas criações, assim como Miró.

Em 1929, colaborou para um curta-metragem do cineasta Luis Buñuel, ocasião onde conheceu Gala Éluard, com quem se casou em 1934. Ainda em 1929, juntou-se a um grupo surrealista parisiense que o expulsou em 1939 por motivos políticos.

No início da Segunda Guerra Mundial, Dalí e a esposa foram para os E.U.A, lugar onde ele escreveu a autobiografia “A Vida Secreta de Salvador Dalí”. Os últimos anos de sua vida foram vividos na Catalunha, passando por momentos turbulentos na relação com Gala. Devido às altas doses de antidepressivos e calmantes orientados por ela, o pintor teve o sistema nervoso danificado, que piorou com a morte da mulher em 1982. Depois disso, mudou-se para um castelo em Pubol. Morreu de pneumonia e problema cardíaco no dia 23 de janeiro de 1989 na cidade onde nasceu.

Salvador Dalí gostava de chamar a atenção e amava detalhes excessivos e dourados, inspiração árabe.

Obras principais:

Pintura

“The Persistence of Memory” (A persistência da memória) – concluída em 1931, também é chamada de “Relógios fundidos”, pois apresenta a imagem da fusão de um relógio de bolso e outras imagens, em relação à rigidez e determinismo do tempo.

Esculturas

“Telefone Lagosta” (1936) – encomendado pelo artista surrealista Edward James para ser colocado em sua casa

“Sofá-lábios de Mae West” (1937) – representa os lábios da atriz Mae West, que segundo Dalí, era fascinante.

Jóias

“The Royal Heart” é uma das joias criadas pelo artista, trabalhada com ouro, quarenta e seis rubis, quarenta e dois diamantes e quatro esmeraldas, assemelha-se a um coração.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade