Sem Parar (via fácil) e terá sistema de pagamento proporcional a partir do ano que vem

O aparelho, que permite tanto o registro de uso como o pagamento via meio eletrônico, e é utilizado em 7 estados, será modificado e contará com novo sistema.
A Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) confirmou nesta segunda-feira (12 de Março de 2012), que os usuários do sistema terão até 2 (dois) anos para trocar o dispositivo de reconhecimento (Sem Parar) por outro de nova configuração. A empresa SPT, controladora do sistema e gestora da cobrança, alega que a substituição do aparelho não será necessária e que ambos os sistemas continuarão funcionando em todo o Brasil por tempo indeterminado.
Atualmente, o Sem Parar, que permite o pagamento eletrônico de pedágios e estacionamentos, é utilizado por mais de 3,5 milhões de veículos nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Minas Gerais, Bahia, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
O governo do estado de São Paulo determinou em novembro do ano passado, por meio da resolução nº 13/2011, que a cobrança eletrônica de pedágio nas rodovias estaduais deve passar a cobrar por trechos, ou seja, operando sob um sistema “ponto a ponto”. O novo sistema, no entanto, utiliza uma rádio frequência de 915 MHz e sem bateria (o atual utiliza bateria e funciona na frequência de 5,8 GHz). A resolução determina um prazo de 3 anos para a adequação ao novo sistema.
A Artesp, em comunicado oficial publicado no site, diz: “os usuários do sistema atual terão dois anos para substituição gratuita do equipamento, a partir de janeiro de 2013”. A agência comunica ainda que o sistema de 5,8 GHz “deixará de funcionar nas rodovias paulistas”, e que “a partir de janeiro de 2013, não será mais permitida a comercialização de equipamentos de identificação de veículos por rádio frequência na faixa de 5,8GHz para usuários de rodovias do estado de São Paulo”.
O sistema novo, de caráter proporcional, será testado inicialmente na Rodovia Santos Dumont, SP 75, no trecho entre Itu (km 15) e Campinas (km 77,6). A Artesp explica que o sistema ponto a ponto funcionará com a instalação de pórticos com antenas ao longo da via, que fazem a leitura automática dos aparelhos (tags) de 915 MHz instalados nos veículos, e identificam e registram a cobrança de valor proporcional ao que foi percorrido efetivamente.
Como exemplo, a agência diz que o usuário que sai de Indaiatuba para Campinas deve pagar R$4,00 com a implantação do sistema novo, em vez dos R$ 10,00 cobrados com o sistema antigo. “Haverá uma redução de mais de 60% na tarifa. A cada pórtico ultrapassado será somado o valor correspondente ao trecho percorrido”, afirma a agência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade