Tratamento com queratina – Saiba os perigos e benefícios para os cabelos

A Queratina é mais um nome que está sendo bastante falado no mercado de cosméticos, usada em diversos tratamentos voltados à reconstrução capilar. Entre elas está a escova progressiva, que é rica em queratina e tem alto poder de hidratação, equivalendo a uma cauterização. Atraídas pela propaganda em cima do nome, as consumidoras correm atrás de produtos à base de queratina sem investigar primeiro seus efeitos e recomendações para uso. O fato de uma amiga ter aplicado queratina nos cabelos não quer dizer que você também precisa. O uso constante e desnecessário é muito perigoso e pode trazer muitos danos aos fios. Para evitar problemas, fique informada e conheça tudo sobre essa proteína.

Nosso cabelo já tem queratina, assim como a pele e as unhas, mas devido a agressões do dia-a-dia (química, sol, poluição), perdemos com mais rapidez as substâncias naturais. A queratina é formada por aminoácidos que retém o pigmento (tirosina) e ligam as estruturas que dão forma ao fio (cistina), por isso é utilizada para hidratar e dar brilho. Como a queratina envolve os fios com uma película, eles ganham mais elasticidade e tornam-se mais resistentes, e é aí que está o problema – quando uma pessoa exagera na quantidade de aplicações, ou não tem a fibra capilar tão agredida a ponto de necessitar desse tipo de tratamento, ocorre um enrijecimento excessivo que causa ressecamento, embaraço e futuras quebras. Isso vale para quem faz escova progressiva, só ela já é suficiente, pois como foi dito anteriormente, ela já contém queratina. Nada de cauterização entre uma escova e outra para prolongar o efeito! Isso é prejudicial.

Principais tratamentos (indicados para cabelos fracos, sem brilho, com danos profundos causados por química, uso constante de chapinhas e secador, praia, etc.):

Nanoqueratinização – feito com uma escova ligada a um aparelho contendo queratina líquida, que é passada nas mechas e liberada em forma de vapor.

Cauterização (ou plástica capilar) – feita em etapas: limpeza dos fios, hidratação, carga de queratina, aquecimento com chapinha e finalização com silicone. Para ser eficiente, recomenda-se 3 ou 4 sessões com intervalos de 20 dias.

Hidroqueratinização Fotônica – feita em cada mecha com a aplicação do Photon Hair, uma fonte de calor que auxilia a penetração dos ativos.

Usando da maneira correta, seu cabelo está a salvo, pois a queratina não tem contraindicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade