Uma lenda chamada Kurt Cobain

No dia 20 de fevereiro de 1967, nascia em Aberdeen, estado de Washington, uma verdadeira lenda sagrada do rock, porta voz de toda uma geração cultuado para sempre no mundo da música. Kurt Donald Cobain e sua banda Nirvana fizeram uma transformação no cenário musical dos anos 90, iniciando a divulgação e expansão do gênero grunge. Se ainda estivesse vivo, Cobain estaria completando hoje 45 anos, mas infelizmente nos deixou cedo em pleno auge de carreira. Muitos fãs não tiveram a oportunidade de vivenciar a explosão e a emoção do movimento grunge na época e gostariam que ele ainda estivesse entre nós, mas é difícil imaginar como seria se ele estivesse vivo. Kurt era uma pessoa de sentimentos diversos – extremamente sensível e controverso, fato que atrapalhava muito a sua carreira, somado à depressão e dependência nas drogas. Apesar de tudo, conseguia demonstrar todos os seus sentimentos em suas canções, comovendo muitos jovens que se identificavam com os conflitos presentes nas letras. Sem dúvida, isso colaborou muito para o seu grande sucesso. A biografia de Kurt Cobain é extensa e complexa, mostrando os inúmeros problemas na vida do cantor. Acompanhe:
Os pais de Kurt, Wendy Elizabeth Fradenburg e Donald Leland Cobain, não tinham uma boa situação econômica e viviam com dificuldades. Kurt era uma criança amorosa e feliz, muito apegado à família. Tinha uma irmã mais nova chamada Kimberly.  O pai era um pouco severo e constantemente castigava o filho por molecagens simples de sua idade. Com o início dos desentendimentos entre o casal, a mãe de Cobain resolveu pedir o divórcio. A partir daí, a felicidade do garotinho meigo de pouco mais de 8 anos de idade se acaba, e esse acontecimento causa uma ferida profunda e eterna dentro de si. Os sentimentos de culpa, solidão, tristeza e mágoa mudam a sua personalidade, que passa a ser rebelde, retraída e agressiva. Com inúmeros problemas de comportamento e ausências na escola, Kurt é encaminhado para um terapeuta, que aponta a necessidade de uma única família.
Em 1979, a mãe entrega sua custódia ao pai. A convivência de início é tranqüila, mas logo é abalada por um novo relacionamento de Don, fato considerado por Kurt uma traição. Do outro lado, Wendy também se relaciona com um homem que a maltrata. A revolta de Kurt com a submissão da mãe e com a madrasta e os meio-irmãos (por carência e ciúme) resulta na sua saída de casa. Então passa a morar na casa de parentes e amigos. Na 8ª série começa a se envolver com drogas e bebidas e afasta-se de todos em alguns momentos.
Desde pequeno demonstrava talento para a música, algo já presente na família. Aos 14 anos ganha sua primeira guitarra elétrica, com a qual aprende algumas músicas e faz composições. No Ensino Médio, conhece Krist Novoselic, que se torna um grande parceiro de banda, mais tarde formando o Nirvana. Durante o segundo semestre do seu segundo ano, passa a viver novamente com a mãe, mas é banido de casa por ela após abandonar os estudos prestes a se formar. Nesse período viveu como sem teto e experimentou heroína pela primeira vez.
No final de 1986, muda-se para um apartamento em um relacionamento com Tracy Marander, que foi supostamente o tema da música “About a Girl“.

Seguindo a filosofia Budista, o nome Nirvana é escolhido com o significado de “conseguir a perfeição”, sendo um lugar alcançado quando a pessoa transcende o ciclo interminável de renascimento e do sofrimento humano. O começo de carreira da banda foi muito difícil – pouco público, lugares sem estrutura e muita dificuldade de se sustentar. A virada acontece a partir de fitas demo distribuídas a amigos, que logo caem nas mãos de Ponerman, poderoso da Sue Pop Records que se oferece para lançar um single. Ganham mais destaque após a publicação de um conjunto de matérias sobre a cena de Seattle, lançados pelo semanário “Melody Maker” em 1989. Aí começa a explosão grunge. Depois de algumas substituições, Dave Grohl entra para a banda como baterista. O Nirvana começou a gravar faixas, fazer shows e turnês pela Europa e Estados Unidos, mas Kurt Cobain só se deu conta de que estava famoso durante o lançamento de Nevermind em 1991. Sua reação foi de um certo pânico diante do estrondo musical e da quantidade de fãs. Durante algum tempo estava eufórico e alegre, mas a fama não curou as cicatrizes interiores do passado. Era melancólico, excêntrico e perfeccionista, cada vez mais viciado em heroína e não queria ser um ídolo das drogas. Em suas canções queria mostrar o lado underground, político e se aborrecia quando os fãs não conseguiam interpretá-las corretamente. Outro mal que o atormentou durante toda a sua vida era um problema de estômago que tinha desde criança, que lhe causava queimação e enjôo e estava piorando cada vez mais.
Em 1990 conhece Courtney Love em uma boate e imediatamente ficam encantados um pelo outro. Após mais alguns encontros rápidos em eventos, começam a namorar firme no ano seguinte. A ligação entre os dois era muito forte porque ambos tinham tido uma infância difícil e se compreendiam bastante. Courtney foi um suporte para Kurt, mas embora também usasse drogas, não colaborou para o declínio dele. Casaram-se em uma ilha do Hawaii em 1992 e no mesmo ano Courtney engravidou. No dia 18 de agosto nasceu a filha do casal Frances Bean Cobain. Devido ao vício dos pais, a guarda da criança fica com uma tia, mas depois é recuperada pelo casal.
A mídia frequentemente perseguia e pressionava o “casal do rock”, vasculhando sua vida como podiam.
Depois de períodos de overdose e tentativas de suicídio, Kobain chega a uma situação de desespero. Shows são cancelados e ele isola-se dos amigos e da mulher, que tentam ajuda-lo de todas as formas. Em março de 1994, Coutney e mais dez amigos organizam uma intervenção sobre uso de drogas, convencendo Kobain a fazer um programa de desintoxicação. Na noite seguinte ele foge da clínica e pega um vôo de volta para Seattle, onde acaba sentado ao lado do baixista do Guns N’ Roses, Duff McKagan. Para McKagan, Kurt parecia feliz em vê-lo, apesar da rivalidade das bandas.
Aos 27 anos de idade, no dia 05 de abril de 1994, Kurt Cobain comete suicídio em sua residência com um tiro de espingarda (até hoje algumas pessoas duvidam se foi mesmo suicídio ou se foi uma armação para que Kurt fosse assassinado). O corpo foi encontrado com um ferimento na cabeça por um eletricista.  Uma nota de suicídio dirigida ao amigo de infância imaginário de Kurt foi encontrada no local e mais tarde foi lida pela viúva em uma vigília pública no parque de Seattle. A vigília atraiu cerca de sete mil pessoas, que sofriam pela grande perda. Courtney love chorava e castigava Kobain pelo ato de covardia e chegou a distribuir algumas roupas dele no final.
Em sua carta, Kurt Cobain dizia ter escolhido a morte como uma libertação da dor, uma alternativa para não enganar as pessoas diante da pressão de fingir ser feliz com a fama, e ser uma boa influência para a filha.
O mundo da música nunca mais foi o mesmo depois de Kurt Cobain.
Curiosidades:
a tendência suicida estava presente na família, e Kurt era consciente disso desde garoto. Dois tios-avôs cometeram suicídio, além da possibilidade de dois outros parentes terem feito isso.
A música “Smell Like Teen Spirit”, um dos maiores sucesso do Nirvana, teve o título inspirado em uma brincadeira feita por Kathleen Hanna, uma vez que ela pintou com um spray “Kurt Smells Like Teen Spirit” na parede de seu apartamento. Teen Spirit é o nome do desodorante que Vail, antiga namorada de Kobain, usava. Kurt interpretou o slogan como algo político, já que estava falando sobre anarquia e punk no momento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade